Sereias

vvA Sereia é um ser mitológico, metade mulher e a outra peixe, ou pássaro de acordo com vários poetas e escritores antigos. Famosas por sua beleza, personalidade e, claro, seu canto doce e encantador utilizado para atrair marinheiros solitários em alto mar e leva-los a morte.

O pouco que se procura sobre sereias na história antiga já é conclusivo que, realmente, povos de outras culturas relatavam seres humano-peixes que viviam em diversas áreas diferentes do mar.

As excursões de Pedro Alvares Cabral são um exemplo mais válido, por ser de uma época mais recente, porém sem tecnologia o suficiente para falsificar dados, onde foram feitos alguns desenhos e relatos sobre o assunto.

Além de tudo isso o oceano é o lugar mais misterioso da terra. Há lugares completamente inexplorados, seja por falta de equipamentos para se chegar lá ou por falta de mapeamento.

Pessoas, ainda nos dias de hoje, juram ter visto ou ouvido sereias. Algumas ainda possuem gravações de áudio e vídeo – sendo muitas delas falsas, é claro  – para comprovar o encontro. Se sereias existem? Não sabemos… Mas vamos voltar ao que interessa…

O mito das Sereias surgiu na idade média – sim, as sereias já existiam na Grécia mas, como dito anteriormente, os Gregos as descreviam como metade pássaro e aqui estamos falando da metade peixe – a transformação pode estar relacionada ao desenvolvimento da navegação (devido, entre outras coisas, à invenção do leme) que permitiu aos navios viajar pelo alto mar, onde se supõe que as novas sereias vivam, fora da vista das rochas costeiras onde as antigas sirenas supostamente ficavam.

sirenAlém do canto as sereias também se “divertiam” com os marinheiros criando armadilhas com questões e enigmas. Engana-se quem acredita que as sereias não possuíam poderes. Um de seus dons era o de controlar o tempo, provocando fortes tempestades em alto mar para fazer com que os navios se chocassem contra as rochas.

Na idade média e Moderna, as sereias foram vistas como criaturas naturais, como uma espécie de animal, não como seres sobrenaturais. Suas pinturas e ilustrações eram, frequentemente, utilizadas em decorações sacras, devido a relação que faziam das sereias com o pecado, provocado pelo encanto e pela sedução.

Supunha-se que as sereias, embora tivessem inteligência humana, não tinham alma. Podiam, entretanto, conseguir uma alma se aceitassem ser batizadas ou, segundo algumas versões, se elas se casassem com um humano.

“As sereias, porém, possuem uma arma ainda mais terrível do que seu canto: seu silêncio.”
– Franz Kafka

Anúncios

Nereidas

10410598_714377541938005_2758244207379804370_n

Hylas and the Nymphs (1896) por John William Waterhouse

Segundo a mitologia grega, as Nereidas ou Nereides eram as 50 filhas (ou 100, segundo alguns relatos) de Nereu e de Dóris. Nereu compartilhava com elas as águas do mar Egeu.

As Nereidas eram veneradas como ninfas do mar, gentis e generosas sempre prontas a ajudar marinheiros em perigo. Por sua beleza, assim como as sereias, as Nereidas também costumavam dominar o coração dos homens.

São representadas com longos cabelos, entrelaçados com pérolas. Caminham sobre golfinhos ou cavalos-marinhos. Trazem à mão ora um tridente, ora uma coroa, ora um galho de coral. Algumas vezes representam-nas metade mulheres, metade peixes.

O único relato onde elas prejudicam os mortais consta do mito de Andrômeda. Segundo o mito, elas exigiram o sacrifício de Andrômeda como punição pelo fato de Cassiopeia, mãe da jovem, ter alegado ser mais bela que as Nereidas.

As Nereidas aparecem nas obras de Homero (Ilíada), Hesíodo (Teogonia), Higino (Fabulae), entre outros.

No folclore grego moderno, o termo “Nereida”  se aplica não só às ninfas do mar mas a todas elas.